Mini sentimentos para pessoas avulsas


Li, recentemente, palavras que me seduziram o pensamento. “Fazia um esforço diário para nada.” Pesquei esta frase de seu livro, pois, que me inquietou. Há sempre um movimento do corpo, a necessidade de mudar os móveis de lugar, colorir as paredes, construir estantes, pintar as prateleiras dos versos, descobrir no Outro espaço para as palavras que nascem em mim. Para que tanto esforço se a cada outro dia, tudo já é nada. Recomeço. Novas palavras, outros temperos, as pernas não se sentam como ontem mais, os olhos se cansaram dos traços dispostos na tela daquele instante. Inventar, inventar... Qual o lugar a que pretendo o verbo? Inventar. Princípio do recomeço. Porta de saída para o vazio, para o branco, para o que não foi vestido. De que me vale tanto esforço? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário